Publicado por: awbuch | 11 agosto, 2007

O muro interrompe a comunicação?

Será que o muro interrompe a comunicação? Após verificar, ler e tentar entender o porque de uma barreira entre povos, vi que quando se constrói uma barreira, a comunicação entre os dois lados, por exemplo, de um território, acaba por diminuir e até mesmo acabar. Porém ao mesmo tempo, esta barreira nos passa muita informação. Ela mostra que muito já fora discutido para chegar a este nível e que, para mudar, é preciso de atitudes drásticas. O dicionário nos mostra a definição de muro. Em uma terra como Israel, onde dois povos vivem lado a lado, devemos enxergar que a economia da Palestina, depende da economia de Israel. É, assim, fácil de observar que as conseqüências ao povo palestino são muito grandes. Ao olhar pela ótica Israelense, após inúmeras tentativas de conter os ataques em seus territórios, uma solução momentânea que se enxergou para parar com este problema foi o muro. O muro simboliza o esgotamento da espera de Israel por uma reação e solução do governo palestino. O governo Israelense construiu o muro como forma de conter o terrorismo e a entrada dos homens bombas em seu território, como, também, o muro se tornou uma espécie de monumento permanente que passa a idéia de que Israel a partir de agora, irá negociar como “gente grande”. Ao se chegar ao extremo de construir um muro, algo de errado estava ocorrendo, porém ao se tomar uma decisão desta, muita coisa já teria sido tentada para solucionar o problema. O muro, talvez, ao ser construído, mostrará que a comunicação deverá daqui para frente, ocorrer de maneira diferente da qual estava sendo feita.

Segundo o psicólogo Marshall Rosenberg, o diálogo é a maior arma para a paz. Ele atesta que palavras evitam discussões, brigas, desentendimentos e até guerras, porém, quando uma das partes está irredutível, podemos entender que não existe conversação. Israel tentou em 2000, em Camp David, uma negociação pacífica. Naquela época, o primeiro ministro Israelense da época, Ehud Barak se encontrou com Bill Clinton e com Yasser Arafat, o líder palestino da época. Barak concordou com quase todas as exigências de Arafat, a comunicação então fora interrompida ali. Ao não aceitar somente uma pequena parcela do que Arafat desejava. Arafat jogou fora a melhor negociação que ele poderia ter feito para os Palestinos, a melhor oferta que já existiu, sendo quase todos os pedidos feitos por ele atendidos, porém o acordo não ocorreu e a Paz não veio. Devemos parar e pensar quem realmente quer a Paz. Ao construir o muro e gerar uma não comunicação, Israel comunica, por outro lado, que quer viver em paz e harmonia com seu povo e que não mais estava agüentando os seguidos ataques a seu povo. Israel corta a comunicação para comunicar que quer discutir a paz. O outro lado não quer se comunicar, o outro lado quer somente benefícios. No mundo dos negócios uma boa negociação é quando os dois saem ganhando, mas para isso é necessário que os dois lados cedam. A comunicação propriamente dita, talvez nunca houvesse por lá. O muro somente concretiza este fato, ele é o monumento da falta de comunicação que houve por lá todos estes anos.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: